quinta-feira, 6 de abril de 2017

Depois da Maternidade

Olá pessoal!

Pois bem...andei sumida das atualizações do blog....motivo?! A maternidade....
Só quem já viveu para saber...e ela me ensinou muita coisa....após 2 anos (isso mesmo...DOIS ANOS!) resolvi voltar.....e quem é mãe vai se identificar...e quem está gestando vai se preparar e compreender depois....e talvez quem nem pense ainda nisso não vai entender nada ou dar risada!!!

Sentimos falta da nossa rotina, algumas mulheres recuperam ela mais cedo, outras mais tarde, cada uma no seu tempo! Assim como a mudança de hábitos...cada paciente tem seu tempo....

Aprendi o que é realmente sentir fome na amamentação....aquela fome de " abrir um buraco no estômago" e sair querendo comer o que aparece na frente!!! Agora compreendo porque algumas mães não emagrecem e até ganham peso após o nascimento do bebê....todos dizem "amamentar emagrece".... sim...emagrece se a mulher souber o que comer e tiver alguém que dê o suporte para ela.
Compreendi o que é não entrar nas suas calças jeans ao retornar ao trabalho.... toda mulher sonha após os 4 meses de nascimento voltar ao corpo antes de gestar....e nós, profissionais da saúde, sabemos que a mulher tem até 1 ano para retomar o peso....mas não adianta! O fato de não entrar nas calças e/ou blusas te enlouquece!!!

Compreendi que as mamadas noturnas despertam fome...e não adiante deitar e tentar não comer...a gente não consegue dormir com fome!!!

Compreendi que é difícil deixar o bebê em casa para ir malhar na academia...nasce uma mãe e nasce uma culpa....queremos ser super mulheres e não pedir auxilio para mãe, sogra, amiga....

A maternidade me tornou uma profissional melhor....compreendo bem agora uma gestante, uma puérpera, quem está amamentando....consigo me colocar no lugar e realmente sentir....
Como sei exatamente o que ela está me contando, não vou dar orientações do tipo " toma um copo de água que passa"....NÃO, NÃO PASSA!!! Vou ajustar o cardápio, acrescentar alimentos que saciam mais, dar dicas de lanches rápidos e saudáveis, telefone de cozinheiras, ensinar a pedir ajuda para família.....

Por que sim meninas...existe vida após a maternidade...sim, voltamos ao peso anterior e entramos novamente nas nossas roupas....retomamos o trabalho, a academia, o yoga, o blog....só depende de cada uma de nós e de mais ninguém! Por isso vamos juntas...vamos lá....estou aqui para ajudar!

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Por onde começar?

Você está acima do peso, deseja emagrecer e não sabe por onde começar? Leia aqui algumas dicas para te ajudar...

1) Item obrigatório: agende uma consulta com o profissional nutrólogo ou nutricionista para montar um cardápio que se ajuste a sua rotina e preferências sem comprometer sua saúde. Evite cortar nutrientes da dieta sem saber a real necessidade! Não faça dietas da moda que podem acarretar prejuízos à você!
2) Enquanto aguarda a consulta, reduza as porções: corte pela metade o que você está acostumado a ingerir nas refeições, mais uma vez lembrando sem cortar os grupos alimentares principais. Você pode evitar as guloseimas, doces, frituras, refrigerantes...o que costumo chamar de "porcarias"....
3)Não basta desejar/ querer....tem que FAZER! Ficar somente pensando "eu queria tanto emagrecer  10 kg" sem traçar um plano de como isto será possível é frustração na certa. Costumo comparar com a compra do imóvel...a pessoa tem que se programar, escolher, calcular, visitar...não basta apenas olhar os anúncios....
4) Mude a rotina de atividades diárias: troque o elevador pela escada, desça uma parada antes ou depois para caminhar, estacione mais longe, vá a à padaria/farmácia/supermercado a pé, passeie mais com o cachorro, corra mais com os filhos....
5) Compartilhe os sucessos. Muitas pessoas falam dos deslizes, mas quando conseguem terminar bem um dia, oo fazer a atividade física, acham que foi obrigação e esquecem de contar, se parabenizar...Isso é o que mantém a motivação...exaltar os feitos positivos é uma das chaves para alcançar o objetivo;
6) Perdoe os deslizes e siga em frente. Ficar se martirizando porque não resistiu ao bombom, lamentar porque choveu e não foi malhar, ter a sensação do "coloquei tudo a perder" é o maior inimigo de ti mesmo....comeu o bombom, paciência, esquece e na próxima refeição volta ao teu plano traçado lá no item 3!
7) Retorne ao profissional que te acompanha. Muitos pacientes me dizem não voltar por vergonha de não ter conseguido fazer....ESSA É A HORA DE VOLTAR! De trabalhar as dificuldades, de ser guiado rumo ao objetivo, de refazer o cardápio, enfim, de pedir ajuda! E se conseguiu, é hora de manter o incentivo, a motivação, de traçar novas metas...o acompanhamento é muito importante!


terça-feira, 28 de julho de 2015

Deficiência de Vitamina D

Aqui na região Sul, nesta época do ano, os dias são mais curtos, nublados ou chuvosos. Isso prejudica nossa produção de Vitamina D, que vem da incidência dos raios solares na pele.
No link abaixo segue uma reportagem que forneci a Record em 27/07/2015 sobre este tema...

Falta de Vitamina D no Inverno

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Sua saúde é o resultado das suas escolhas!!!

Vocês sabiam que as doenças crônicas, como Pressão Alta, Diabetes, tipos de Câncer estão intimamente relacionadas a falta de prática esportiva e maus hábitos alimentares?

Além disso, mais de 50% da população brasileira está acima do peso ideal. Este excesso de peso pode estar ligado a diversos fatores, como:

  • Distúrbios psicológicos (ansiedade, alteração do humor, pensamentos disfuncionais);
  • Sedentarismo;
  • Má alimentação
  • Patologias como distúrbios hormaonais e transtornos alimentares; 
O acompanhamento  médico especializado, associado ao acompanhemento psicológico, nutricional e atividade física são a solução para você perder peso e levar uma vida mais saudável.

Por isso apresento a vocês a NOVIDADE EM PORTO ALEGRE, uma equipe multifuncional composta por diversos profissionais da área da saúde (incluindo coach e personal gourmet), pronta para lhe ajudar a atingir seus objetivos.

Acessa lá nosso site e fique por dentro: 



terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Radicais Livres e Antioxidantes

Equilíbrio corporal

Certas cores de uma refeição podem indicar um prato rico em antioxidantes. Essas substâncias ficaram famosas nas últimas décadas por fazerem bem a saúde, devido a sua interação com os radicais livres. Para se aprofundar no assunto e entender melhor como funcionam esses radicais, como eles agem no organismo e porque são essenciais para o bom funcionamento do corpo, acompanhe as explicações da Dra. Jaqueline Coelho sobre o assunto.

1) O que são os radicais livres?
Os radicais livres são moléculas que constituem naturalmente o corpo humano e se formam devido a reações do organismo a infecções e estresse. Eles são compostos por uma parte, chamada elétron (de carga negativa), que estão sozinhos quando o normal é estarem em pares. A presença deste elétron “sozinho” torna esta molécula mais instável, tendo uma vida mais curta, reagindo rapidamente com diversos compostos (fenômeno conhecido como reação oxidativa) e podendo atacar as células do corpo. Seria como se um animal solitário, sem parceiro, passasse a atacar agressivamente os seus semelhantes.


2) Como eles agem no organismo?
Em grande quantidade, os radicais livres podem causar o chamado estresse oxidativo, fênomeno que danifica moléculas importantes como do DNA, das proteínas e das membranas celulares, podendo levar à morte celular também. O dano oxidativo é um dos principais mecanismos que promovem o câncer, doenças neurológicas como Parkinson e Alzheimer, doenças cardiovasculares,  diabetes, catarata, envelhecimento e doenças inflamatórias. O aumento desses radicais livres no corpo podem ser ocasionado por situações como: má alimentação, tabagismo, ingestão de bebidas alcoolicas, exposição a radiação UV, medicamentos e estresse psicológico.


3) Os radicais livres também são essenciais para o bom funcionamento do organismo?
Eles possuem funções fisiológicas no corpo humano, contribuindo para a comunicação entre as células, o englobamento de partículas ameaçadoras ao organismo, além de função bactericida, matando bactérias que invadem o sistema imunológico. Também contribuem para o relaxamento da musculatura lisa dos vasos arteriais e para a ação das plaquetas, responsáveis pela coagulação do sangue, impedindo que elas se agrupem e causem coágulos. Durante toda a vida há produção constante de radicais livres pelo organismo, (através de reações químicas associadas ao metabolismo basal) a qual é contrabalanceada por uma produção equivalente de antioxidantes, que visam neutralizar os efeitos nocivos à saúde desses radicais. Apenas quando esta neutralização não é possível é que acontecem danos ao organismo.


4) Como agem os antioxidantes?
Os antioxidantes, que agem por meio de diferentes mecanismos, neutralizam os radicais livres, reparam as membranas celulars e diminuem a produção de certas substâncias nocivas.


5) O que são antioxidantes?
Uma substância antioxidante é aquela capaz de proteger o organismo de efeitos oxidativos, ou seja, de inibir a ação dos radicais livres nas células.O corpo possui antioxidantes produzidos pelo próprio organismo e outros vindos de fora, principalmente dos alimentos. 
Para ter uma dieta rica nessas substâncias, isso envolve o consumo de no mínimo 5 porções de frutas e vegetais por dia, principalmente os de cores verde-escuras, amarelo ou alaranjados, como: cenoura, abóbora, laranja, acerola, espinafre, couve e brócolis. Nessa lista também entram vinhos, chás (vermelho, branco e verde), sementes, grãos, castanhas e amêndoas. Todos esses alimentos são excelentes fontes de antioxidantes, como selênio, vitaminas C, E, betacaroteno, licopeno, catequinas e flavonoides.

6) Há venda de antioxidantes em cápsulas. As pessoas podem comprar na farmácia e tomar normalmente ou só sob prescrição médica? Eles de fato são eficazes? Em que tipo de situações o médico recomenda? 
Até o momento não possuímos estudos científicos que comprovem que a utilização de cápsulas fornecem o mesmo beneficio das frutas e verduras in natura. Não recomendamos a utilização de polivitaminicos ou minerais nesta forma, mas sim o consumo de alimentos. Alguns estudos inclusive relacionam a utilização de cápsulas com certos tipos de tumores.

Entrevista cedida para Revista dos Vegetarianos edição n'98 - dezembro de 2014.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Glúten...comer ou não comer?

Entrevista cedida para Gazeta Regional de Montenegro e região em setembro/2014.

No programa Globo Repórter, apresentado na última sexta-feira, falou-se muito 

a respeito do glúten.  Teríamos duas perguntas:

Gazeta Regional: Existem pesquisas científicas que relacionem o glúten ao aumento 

de peso ou que indiquem que essa proteína seja ruim para o nosso organismo (com 

exceção da Doença Celíaca)?

Atualmente temos muitas pesquisas relacionando uma sensibilidade maior ao 

glúten, não necessariamente sendo doença celíaca. Esta sensibilidade seria 

responsável por sintomas de flatulência, cólicas, desconforto abdominal, alteração 

do hábito do intestino, mas sem a gravidade da má absorção ou risco de câncer 

como ocorre na doença celíaca.

A sensibilidade ao glúten não está relacionada com ganho de peso, e alguns 

autores inclusive questionam se esta sensibilidade realmente seria apenas ao 

glúten ou se estenderia a outros compostos fermentedores presentes no trigo e em 

alimentos como a banana e beterraba.


Gazeta Regional: Foi mostrado o caso e um empresário que cortou o glúten da 

dieta e perdeu 23 quilos em um ano. O que leva à redução de peso: a diminuição 

da ingestão desta proteína ou a redução da ingestão do amido presente no trigo e 

outros grãos?

O indivíduo que necessita realizar uma dieta sem glúten pela Doença Celíaca ou por uma 

sensibilidade ao glúten precisa restringir sua alimentação de uma forma bem importante, 

como pães, pizzas, massas, fast-food, que, infelizmente, fazem parte dos maus hábitos dos 

brasileiros. Nos últimos 40 anos aumentamos o consumo de açúcar em 91% e o de biscoitos 

em 207%, em comparação diminuímos ao longo deste período o consumo de ovos em 46% e 

do feijão em 30%.

Entende-se perfeitamente, que ao realizar uma dieta sem glúten e se retirando trigo, aveia, 

malte (cerveja), achocolatados prontos, patês, embutidos ,temperos industrializados que 

possam conter glúten por contaminação, o paciente opte por inserir mais leite/derivados, 

frutas, verduras, carne, temperos naturais, contribuindo para o emagrecimento.